domingo, 6 de março de 2011

Dois Pares de Asas

De mãos dadas com minha Sombra meus dias vão passando...

Seu dedo aponta cada volta do ponteiro, cada sol poente...

Sua presença é sentida, sua imagem refletida...

Mas o que desejo de verdade é poder abraçá-la tranqüila.


Sob a luz artificial, sua forma já não é tão nítida...

A fina garoa agora corrói suas asas malignas...

Por trás de cada tragada, um anjo bate asas e ilumina inúmeras vidas.


Porém, a caminhada é longa e preciso ir...

Para o lado olho e a vejo subir...

A cada dia que passa, fica mais difícil continuar...

Mas olhando para cima, ao menos já posso respirar.