domingo, 6 de dezembro de 2009

As Rosas

"Amiga das horas em que ninguém resta
quando tudo é recusado ao coração amargo;
consoladora cuja presença atesta
tantas carícias que nos têm confortado.

Se renunciamos à vida, se renegamos
o que foi e o que pode acontecer,
jamais pensaremos o bastante nessa fiel amiga
essa fada constante sempre a nosso lado".

( Rainer Maria Rilke)

Este pequeno poema me marcou muito neste domingo, por me fazer constatar uma feliz verdade: é provável que eu tenha realmente renunciado ao mundo, mas pelo menos, para minha sorte, meus olhos ainda podem vê-la...

William, desejando um feliz natal para todas as pessoas que acompanharam este blog.