domingo, 26 de julho de 2009

Chuva Ácida

Sufocado pelas areias do tempo em uma terra desolada pela loucura e a ilusão, ele só precisava de uma moeda para voltar a viver...

Não três, mas apenas um pedido...
Arremessando ela em direção à fonte dos desejos, ele já podia voltar a sonhar...

Já começava a pingar... escurecia rapidamente...covas eram submersas...dia e noite se confundiam...dançar na chuva, era o que restava...

Com seu guarda-sonhos, ele se protegia de sua beleza pálida...
Escorrendo por seu corpo, lavando suas feridas, despedaçando sua pele e seus ossos, era tudo aquilo que ele sempre desejou...

Uma chuva ácida... capaz de corroer sua alma e dissolver para sempre suas lembranças...

quarta-feira, 22 de julho de 2009

O Fim da Crença

Por um momento, uma árvore me fez acreditar...
Num fantasma, que na cruz chorou no final...
Mas, apoiado em Schopenhauer...
A franja dos olhos eu quis retirar...

Asas de anjo...
Pensamento de demônio...
Voando e rastejando, chorando e sorrindo...
Tudo ao mesmo tempo, no mesmo momento...
Que me importa enxergar, com um olho a mais...
Se no fim, na verdade, será apenas mais um para enxugar...

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Bola de Cristal

Prevendo meu futuro, passo os dias a brincar...
Sabendo o que virá no final, agora só me resta esperar...
Um dia, um mês ou 30 anos, não importa; este dia não tardará a chegar...

Sentado na grama, vejo uma luz fraca piscar...
Negando o anjo feito de pedra, busco a lâmina apertar...
Gargalhando para o céu, só tenho uma coisa para falar:
É nos braços de minha Sombra, que desejo ficar.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Um vulto à espreita

Quando o medo tentar me dominar, a verdade tentarei encontrar...
Se por acaso, um dia, os grilhões voltarem a sangrar, deixarei para o tempo tentar me salvar...
Quando não encontrar em mim uma razão para continuar...
Só me restará as chaves pela janela arremessar...

Vejo traças e vultos ao meu lado caminhar...
Trancado em meu próprio sótão, desejo o retrato também rasgar...
Erguendo uma muralha em volta de mim, busco dos outros me isolar...
Falando com fantasmas, espero a paz um dia encontrar...